21 Dezembro, 2006

Um Bom Natal...

A
todos
aqueles
que gostam
de dormir mas
que se levantam
sempre de bom humor.
Aos que saudam com um
beijo. Aos que trabalham muito
e se divertem mais ainda. Aos que
conduzem com pressa mas não buzinam
nos semáforos. Aos que chegam atrasados, mas
não inventam desculpas. Aos que apagam a televisão
para uma boa cavaqueira. Aos que são duplamente felizes,
fazendo só metade. Aos que se levantam cedo para ajudarem um
Amigo. Aos que vivem com o entusiasmo de uma criança e a sabedoria
de um adulto. Aos que vêm tudo preto só quando está tudo escuro. Aos que
não
esperam
pelo
Natal
para
serem
melhores
Santo Natal

18 Dezembro, 2006

O Presépio



Já alguns anos que não o fazia e este ano o Natal será pela primeira vez na Fonte Coberta, e por isso, decidimos fazer o presépio.

Ontem ao início da tarde, por caminhos e montes andámos à procura do musgo e encontrámos grandes tapetes de fofo e variado musgo, apanhámos um pequeno tronco e alguns ramos de pinheiro. Já em casa, devolvemos à vida todas aquelas pequenas figurinhas de barro e este é o resultado final...

As criadoras: Eu, mãe Isabel, tia Graciete, Maria João e acompanhadas pelos nossos amigos de quatro patas Dingo e Jonas.

14 Dezembro, 2006

Caminhos de Santiago...


As origens históricas deste local – que constituiu em tempos remotos, através da Fonte Coberta, um dos caminhos para Santiago de Compostela...

13 Dezembro, 2006

Fernando Namora


Nasceu em Condeixa em 1919 e ali começou a exercer Medicina. Os laços humanos que o ligam à sua terra natal perdurarão para sempre nos seus livros.

Na pequena Casa-Museu Fernando Namora, caiada de branco, bem no centro da vila de Condeixa-a-Nova, encontra-se um núcleo de pintura constituído por quadros do próprio Namora e obras oferecidas pelos seus amigos — além de um conjunto de objectos pessoais do escritor e de uma colecção de manuscritos, apontamentos originais, provas tipográficas, livros publicados e anotados para futuras edições. Numa das salas é reconstituído o escritório do romancista: (…) «uma mesa cinco estantes/livros por centenas ou milhares/ (…) uma máquina de escrever Olivetti/ com a tinta acumulada nas letras mais redondas/ cachimbos barros estanhos medalhas fotos/ bonecos marafonas lembranças (…)».

Durante o período em que foi médico em Condeixa, Namora deixava muitas vezes a vila para ir acudir a doentes na serra. Partindo em direcção a Tomar, a paisagem muda significativamente, surgindo as vertentes escarpadas da serra de Janeanes. Num dia límpido, ao atingir o seu cume, a vista é imensa. A serra da Lousã ao fundo, os campos divididos por rudimentares muros de pedra, as oliveiras bravas, as povoações de Fonte Coberta e do Zambujal. Descendo ao vale, encontra-se uma zona de grandes grutas e rios subterrâneos. As buracas do Casmilo merecem uma visita, pelo fenómeno espeleológico que apresentam, denominado «incasão» (abatimento da parte central do monte, permanecendo apenas visíveis as laterais extremas).