17 abril, 2008

Amor como em casa



Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa. Faço de conta que
não é nada comigo. Distraída percorro
o caminho familiar da saudade,
pequeninas coisas me prendem,
uma tarde num café, um livro. Devagar
te amo e às vezes depressa,
meu amor, e às vezes faço coisas que não devo,
regresso devagar a casa,
compro um livro, entro no
amor como em casa.

Manuel António Pina

2 comentários:

mcg disse...

É verdade! O amor faz-nos sentir em casa...

AugustoMaio disse...

Gosto muito do Manuel António Pina (mesmo a saber que é sportinguista fervoroso). Ainda assim, de facto, dava mais vontade, ainda, um fim de tarde com sol numa esplanada algarvia.

Beijos