17 junho, 2008

Ele há cada nome


Há nomes que nem inventados. Mas são verdadeiros. Eu garanto, porque os colecciono e cato, um a um, pelas listas telefónicas do país.
A família Barriga, por exemplo, tão velha como Portugal. Já no tempo do nosso primeiro rei, o bravo D. Afonso Henriques, vivia, na província da Beira, um Martim de Barriga.
Que ninguém se admire.
Se há tantos Costas, porque é que não há-de haver alguns Barrigas?
A família cresceu, espalhou-se e chegou aos nossos dias. Conheci, há tempos, uma senhora, descendente do remoto beirão Martim de Barriga. Chama-se Maria das Dores, mais precisamente Maria das Dores de Barriga, o que talvez lhe cause alguma indisposição.
E o caso do Dr. Pedro Branco que se casou com uma senhora de apelido Feijão e tiveram um filho Feijão Branco?
Mais ou menos semelhante, e também verdadeiro, foi o caso ou casamento que uniu D. Maria José Coelho com o Engenheiro Manuel da Silva Guisado. O filho do casal chama-se Abel Coelho Guisado e não se importa.
Nem tem nada com que importar-se, porque, verdade verdadinha, há nomes muito mais esquisitos.
Contou-me a minha avó que um casal já com muitos filhos foi brindado com mais uma criança, um perfeito rapazinho que havia de se chamar...
- André - disse o pai.
- João - disse a mãe.
- Fernando - disse um avô.
- Camilo - disse o outro avô.
- Manuel João - disse uma avó.
- João Manuel - disse a outra avó.
Não se entenderam.
Quando, na cerimónia do baptizado, foi preciso assentar o nome do bebé no livro dos registos, ainda a família não tinha chegado a uma decisão. Até que a mãe, para safar a encrenca, ditou ao sacristão, que estava de pena suspensa sobre o livro dos registos:
- Olhe, senhor sacristão, o nome do meu filho fica João, até ver.
E o obediente sacristão escreveu assim o nome do rapaz: "João Até Ver Martins".
Mas, para o resto da vida, ficou só conhecido pelo João Até Ver.
- Pouco importa - concluía a minha avó, que esta história me contou. - O que vale é que cada um seja conhecido pelo que de bom fizer.
Se for pelo que de mal fizer, então, sim, já terá razão para envergonhar-se do nome.
Grandes verdades ensinava a minha avó, de nome Olívia Torrado, que, todos concordarão, não é um nome assim muito vulgar...
António Torrado
escreveu

6 comentários:

MCG disse...

:))
Queres nomes esquisitos?!?
O meu avô materno usava como apelido Moço e o paterno, Guardado Cantante! Consegues imaginar o que poderia ter saído se não fosse o bom senso dos meus pais?
E no caso do meu tio, Arnando Remualdo Caro, cujo filho, Vitor, casou com a Berta Fortunata Frigideira?

lol

dejalo que va lejos disse...

Xiiiiiiiiiiiiiiiii :))))))

É muito engraçado a história dos nossos nomes...

Bjos

Rosa Negra disse...

LOL, há nomes que não lembra a ninguém, tenho uma cliente (não é bem cliente, é mais a pessoa que eu chateio quando eles atrasam os pagamentos) cujo apelido é Beijinho. A sorte é que eu não mando beijinhos aos clientes!!
Outra história engraçada que me contaram (pelo que não posso confirmar a veracidade, mas acredito que é possível) foi a de um senhor que foi registar a filha e quando lhe perguntaram o nome da menina respondeu "Olhe, prante-lhe Ana". O tipo do registo levou aquilo à letra, e a senhora chama-se mesmo Prantelhana!!
Agora falando a sério, não concordo com a perpetuação de nomes ridículos, porque o nome de uma pessoa faz parte da sua identidade, é das poucas coisas que vai acompanhá-la até à morte, e a primeira a identificá-la.
Para quem me diz que não é correcto mudá-lo (ou ocultá-lo) só porque é o nome dos antepassados, só posso responder que incorrecto é sujeitar alguém ao gozo público só para manter o nome de família. Felizmente não é o meu caso, mas não tinha problemas nenhuns em ocultar um dos nomes de família caso fosse assim descabido. E mesmo assim sou capaz de ir entrar em guerra com o meu pai e o meu sogro, quando tiver um filho, porque estou cheia de vontade de lhe dar só os apelidos de solteiras da minha mãe e sogra. Vai ser bonito!!
Um abraço

Viajante disse...

Nomes... pois!
Eu chamo-me Viajante, ok?

bjs

filha do administrador disse...

nunca tinha ouvido falar de uma colecção de nomes esquisitos, mas acho genial a ideia :)

dejalo que va lejos disse...

Bem-vinda a este lugar :)

De facto existem muitos nomes invulgares, alguns bem engraçados e curiosos :)))

Um abraço