11 janeiro, 2007

Terra Firme

Dezembro, 2006



Lembras-me uma marcha de lisboa
Num desfile singular,
Quem disse
Que há horas e momentos p'ra se amar


Lembras-me uma enchente de maré
Com uma calma matinal
Quem foi
quem disse
Que o mar dos olhos também sabe a sal

As memórias são
Como livros escondidos no pó
As lembranças são
Os sorrisos que queremos rever, devagar

Queria viver tudo numa noite
sem perder a procurar
O tempo, ou o espaço
Que é indiferente p'ra poder sonhar

Quem foi que provocou vontade
se atiçou as tempestade
se amarrou o barco ao cais
Quem foi, que matou o desejo
E arrancou o lábio ao beijo
E amainou os vendavais

devagar

Música: João Gil / Letra: Luís Represas

2 comentários:

Eu sou... disse...

Isso, procura terra firme, é por aí que deves trilhar o teu caminho. Basta de pântanos, incertezas, indefinições.
Abraço grande.

dejalo que va lejos disse...

Meu amigo, ao ver a tua mensagem sorri... Sim, é verdade tenho mesmo que pisar terra firme, será o meu sentido. Beijos